temporal

Centros das cidades de Atalanta e Agrolândia começam a ser limpos após alagamentos

07 Março 2019 17:07:00

Cidades foram prejudicados com a chuva de quarta-feira (6). Casas, escolas e comércio foram atingidos pela enxurrada e prejuízos ainda serão contabilizados.

Elisiane Maciel/Diário do Alto Vale
A quinta-feira (7) amanheceu com lama, prejuízo e destruição nas cidades de Atalanta e Agrolândia. A forte chuva caiu na região na noite desta quarta-feira (6), e fez com que uma enxurrada atingisse os centros das duas cidades, alagando os comércios e casas. Os prejuízos ainda serão levantados.
Em Agrolândia, o comércio, escolas e várias residências foram atingidas. As ruas mais prejudicadas foram as do centro e as próximas ao Cemitério Municipal. Uma das escolas afetadas, foi a Escola de Educação Básica São João, e de acordo com a diretora Roselani Maas, todas as salas foram atingidas e além de materiais, foi perdido também a merenda. "A situação das salas de aula está precária. Nós perdemos merenda, todos os ambientes estão cheios de lama, então comprometeu muito a estrutura da escola, que já estava um pouco danificada e agora, está bem mais comprometida".
Agora, pais, professores e comunidade ajudam na limpeza e recuperação do ambiente, mas no momento, ainda não há previsão de quando as aulas devem retornar. "A comunidade, pais e professores estão todos envolvidos. Não sabemos ainda quando vamos conseguir recomeçar as aulas, mas vamos buscar proporcionar o atendimento normal o quanto antes", disse a diretora.
Ela contou ainda, que na noite de quarta estava na escola com os pais dos alunos em uma assembleia, e que por pouco, não ficaram ilhados no local.
"Nós só conseguimos ter uma visão geral do prejuízo na manhã desta quinta-feira (7), porque por pouco não ficamos ilhados na noite de quarta, enquanto participávamos de uma assembleia de pais. No tempo que estou aqui e mesmo antes de eu vir, pelo que eu saiba, esta é a primeira vez que aconteceu uma enxurrada nesta proporção".

O prefeito de Agrolândia, Urbano José Dalcanale, disse que assim que os alagamentos iniciaram, equipes da prefeitura foram disponibilizadas para ajudar a população. "Mais uma vez, a nossa cidade foi surpreendida por uma forte chuva, e desde quarta à noite, quando tivemos conhecimento de alguns alagamentos, disponibilizamos a nossa equipe da prefeitura para que pudesse estar nos locais, auxiliando a população e tentando amenizar o sofrimento".
Além dos servidores da prefeitura, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar também auxiliaram a população. O levantamento dos prejuízos ainda será apurado. "Agora vamos buscar com a Defesa Civil do Estado alguns mantimentos para ajudar a população". A prefeitura também cedeu um espaço no prédio da Secretaria de Obras, para receber doações como alimentos e produtos de limpeza.

Assim como em Agrolândia, Atalanta também foi muito prejudicada com os alagamentos. De acordo com o prefeito Juarez Miguel Rodermel, o Sassá, caiu no município uma média de 199 milímetros de chuva, em questão de duas horas, o que causou alagamentos em todo o centro, invadindo casas e o comércio. "O centro da cidade foi todo tomado pela água, perdemos várias pontes, várias estradas ficaram danificadas, o comércio foi atingido, cerca de 60 casas também. O levantamento dos prejuízos ainda não foi feito, mas posteriormente será feito um mais preciso e detalhado". 
O Posto de Saúde do município também foi atingido pela enxurrada e praticamente todos os medicamentos da unidade foram perdidos. "Perdemos muita medicação no Posto de Saúde, sendo que antes nunca havia entrado água lá. Dentro do próprio prédio da prefeitura entrou água e danificou documentos, computadores, impressoras, então o prejuízo, quando for levantado, será muito grande", completou o prefeito.
Ele disse ainda que no momento, a Defesa Civil está auxiliando a população e que as equipes da prefeitura trabalharam toda a noite de quarta e madrugada de quinta-feira, limpando e socorrendo pessoas.
Sassá lembrou que em janeiro, Atalanta já havia sido prejudicada com um forte temporal que atingiu o Alto Vale. O município foi o mais prejudicado da região ao ser atingido por uma microexplosão, que são ventos que causam os mesmos estragos de um tornado, mas o vento não chega no solo em forma de funil e por isso vários eucaliptos caíram e os estragos foram maiores. "Estamos castigados. No fim do ano, tivemos uma tragédia com o vendaval e agora com os alagamentos".

Enxurrada causa a morte de um jovem
Um motoqueiro tentou atravessar uma ponte que estava coberta por uma lâmina de um metro de água e foi arrastado pela enxurrada. O óbito foi confirmado na manhã desta quinta-feira (7).
Jonatan Meurer, de apenas 20 anos, estava transitando de moto no bairro Três Barras. Seu tio, Anibal Meurer, confirmou através das redes sociais, que o sobrinho foi encontrado por familiares sem vida, na manhã desta quinta-feira (7).?

Elisiane Maciel

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS