Siga nossas redes

Editorial

Editorial JATV - Nem tudo é o que parece

Confira o editorial do JATV

Há décadas se discute no país a importância do saneamento básico, mas há décadas governadores e prefeitos ignoram solenemente a regra básica da saúde: quanto mais água tratada, menos leitos de hospitais ocupados. Atualmente, os serviços de saneamento são prestados pelos Estados ou Municípios e compreendem o abastecimento de água, tratamento de esgoto, destinação das águas das chuvas nas cidades e lixo urbano.

Além de novas regras, é preciso investir pesado em saneamento básico. Um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), denominado "Saneamento Básico: uma agenda regulatória e institucional", revela que para universalizar os serviços até 2033, é necessário ampliar em 62% o volume de investimentos para um patamar de R$ 21,6 bilhões anuais.

Vimos isso de forma clara na questão da água proveniente da bica na "Gruta da Santinha", que liga Taió a Rio do Campo. Aos turistas que fazem suas preces, ou que passam por ali, é uma grande oportunidade de saciar sua sede. Porém, a água é imprópria para o consumo. Não há sinalização alguma disso. Uma grande vergonha para o poder público (que diz já ter posto avisos em algumas ocasiões), quanto para a parte vândala da população (que arranca a placa, fazendo com que várias pessoas tomem dessa água). Mesmo não sendo de responsabilidade da Casan, alguém precisa ser responsabilizado pelas doenças de quem bebe dessa água.

O que todo mundo já sabe é que investimento insuficiente é o maior vilão para a ampliação da cobertura por redes de esgoto no Brasil. Nos últimos anos, a média de recursos aportados no setor foi de R$ 13,6 bilhões. O mesmo estudo mostra ainda que o serviço prestado pelas companhias privadas tem mais qualidade que o das públicas, e que cada R$ 1,00 investido dá retorno de R$ 2,50 ao setor produtivo. Segundo o documento, a ampliação das redes resulta em melhorias na saúde da população.

Na avaliação da CNI, a meta do plano só se tornará possível caso a agenda de saneamento básico seja prioridade do Governo Federal. Ou seja, sair do discurso e partir para a prática. É preciso ainda que cobrem dos prefeitos e dos governadores mais atenção com o setor, estipular, inclusive, metas.

Caso sejam mantidos os níveis recentes de investimento, a universalização dos serviços será atingida apenas após 2050, com cerca de 20 anos de atraso. A experiência internacional sugere que a parceria com o setor privado tem sido fator fundamental para a expansão e aumento da qualidade dos serviços de saneamento. Com saneamento básico, muitas doenças seriam evitadas e não atingiriam tanto especialmente as crianças, as grandes vítimas onde não há tratamento de esgotos e água potável encanada.

Portanto, seja água encanada ou de nascentes, precisamos pensar mais em coisas que não dão voto, mas que ajudam na qualidade de vida da população. Que essa ocasião sirva de lição. Apesar de parecer, a água refrescante da "Santinha" não é potável. Aliás, na nossa vida como um todo, nem tudo é o que parece. 


O JATV.com.br é um portal de informação 24 horas por dia e 365 dias por ano no ar. Presentes nas redes sociais, somos compatíveis com todos os dispositivos que dispoem de acesso à internet.

Endereço: Rua 29 de Dezembro, 643 - Sala 03 - Centro, Rio do Campo - SC, 89198-000
Telefone: (47) 3564-0318 | Email: contato@jatv.com.br

|